19/05 - Blog Guia Tributário


Nesta sexta-feira (19) , o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, destacou a necessidade de manter a economia brasileira em um “caminho virtuoso”, resultado das reformas implementadas no último ano. Em evento do banco Santander, ele reforçou que o Brasil possui “amortecedores robustos” para lidar com fatores de ordem não econômica.

“Esse cenário externo incerto encontra o Brasil em momento de estabilização da economia e de recuperação dos fundamentos econômicos, mas também de incerteza política”,  ponderou. “A despeito desse fator não econômico, o Brasil tem amortecedores robustos e, por isso, está menos vulnerável a choques internos ou externos”, pontuou o presidente.

Ao comentar sobre as incertezas domésticas, o dirigente da autoridade monetária garantiu que a instituição vai continuar monitorando as novidades no cenário político com intuito de manter a estabilidade dos mercados. “O BC tem atuado, em coordenação com o Ministério da Fazenda, para dar liquidez aos mercados”, afirmou.

Além disso, Goldfajn apontou que o Banco Central continuará focado “nos seus objetivos tradicionais”, isto é, garantir a estabilidade da moeda brasileira por meio do controle da inflação e da estabilidade financeira. “As decisões sobre a taxa básica de juros serão tomadas pelo Copom, no curso de suas reuniões ordinárias”,

Diante da queda da inflação e da recuperação da economia, a diretoria do Banco Central vem seguindo numa trajetória de corte na taxa básica de juros, a Selic. Em um ano de reformas econômicas, a taxa saiu de 14,25% ao ano para os atuais 11,25%.

Por: Portal Brasil, com informações do Banco Central

Use o APP do Contabilidade na TV e mantenha-se informado!

0 comentários:

Postar um comentário